г. Рио-де-Жанейро
Santa Olga, Princesa

A Santa Igual aos Apostolos Princesa Olga  11/24 Julho

A Santa Igual aos Apóstolos Olga foi esposa do Príncipe Igor de Kiev. A luta do cristianismo com paganismo sob Igor e Olga, que reinaram depois Oleg (+ 912), entrou em uma nova fase. A Igreja de Cristo, já no ano primeiro do reinado de Igor (+ 945) havia se tornado uma notável força espiritual e política no reino russo. No ano de 945 foi registrado um tratado de pacificação das comunidades religiosas de Kiev, com os cristãos sendo batizados na catedral erigida em honra ao santo profeta de Deus Elias, e os pagãos jurando o tratado sobre as armas, no templo de Júpiter. O fundamental no entanto, alem da liberdade consentida a Igreja, foi a condição de precedência do cristianismo no documento, o que já indicava o quanto este era significativo naquela sociedade.

Contudo, incapaz de superar a inércia habitual, Igor permaneceu um pagão, chancelando o tratado na forma pagã, com um juramento sobre a sua espada. Ele recusou a graça do Batismo e foi punido por sua incredulidade. Um ano mais tarde, em 945, foi assassinado por rebeldes pagãos de forma terrível. O fardo do governo caiu sobre a viúva de Igor - a princesa Olga de Kiev, e com o seu filho de três anos, Svyatoslav. Mas os dias do paganismo na vida das tribos eslavas estavam por se findar.

O início do Estado independente sob a guia da Princesa Olga está ligada as narrativas sobre sua terrível vingança contra os assassinos de Igor. Os pagãos que juravam sobre as suas espadas e acreditavam "apenas em suas espadas", foram condenados pelo juízo de Deus para também perecerem pela espada (Mt 26: 52). Adorando fogo entre os outros elementos, encontraram seus próprios castigo no fogo. E o Senhor escolheu Olga para cumprir o castigo ardente.  A luta pela unidade da Rus', com a subordinação das tantas tribos hostis e principados ao centro administrativo de Kiev pavimentou o caminho para a vitória final do Cristianismo na Terra Russa.

A serva de Deus Olga entrou para a historia da Rússia como uma grande construtora da cultura e vida social de sua pátria. Mas não foi só o fortalecimento da esfera civil, bem como a melhoria das normas internas do modo de vida das pessoas que atraiu a atenção dos sábios para a princesa. Ainda mais importante para ela foi a transformação fundamental da vida religiosa da Rus', a transfiguração espiritual da nação russa.

Tendo confiado Kiev ao filho adolescente,do verão de 954  a princesa Olga organizou uma grande expedição e foi buscar a verdade em Constantinopla. Em seu coração a sábia encontrou o santo desejo ortodoxo, e assim tomou a decisão de se tornar cristã. O sacramento do Batismo foi celebrado pelo Patriarca de Constantinopla Theophylaktos (933-956), e o padrinho foi o imperador Constantino Porphyrigenitos (912-959). 

No Batismo recebeu o nome Helena, em honra a santa Igual aos Apóstolos Helena, mãe de São Constantino, que foi também a descobridora do Madeiro da Venerável Cruz do Senhor. Em um edificante sermão proferido quando da conclusão do rito sacramental, o patriarca disse: "Bendita és tu entre as mulheres russas, pois tu abandonou a escuridão por amar a luz. O povo russo deverá te bendizer em todas as gerações futuras, do teu neto ao bisneto ate os seus descendentes mais afastados.” Ele a ensinou sobre as verdades da fé, as regras da Igreja e os meios para se conquistar o estado de oração, as exposições sobre o jejum, a castidade e a caridade. "Ela, então - disse o monge Nestor, - curvou a cabeça e como uma esponja absorvendo água ela reteve o ensino do Patriarca,e a ele disse :Por tuas orações, Vladyka, deixe-me ser preservada das ciladas do inimigo ".

Santa Olga, se tornou uma cristã devota e instituiu todos os esforços de evangelização cristã entre os pagãos, e também da igreja em seu nascimento.  Ela ergueu igrejas: de São Nicolau e Santa Sofia em Kiev, da Anunciação da Mãe de Deus MostHoly em Vytebsk, e da Santíssima Trindade - em Pskov. Não foi por mera coincidência que Santa Olga recebeu no batismo o nome da Igual aos Apóstolos Santa Helena. O principal item sagrado da recém cnstruida igreja em Kiev (Santa Sofia), era um pedaço da Santa Cruz, trazida de Constantinopla para a nova Helena, e recebida por ela com as bênçãos do Patriarca de Constantinopla. 
A cruz, pela Tradição era o mesmo madeiro do Criador da Vida e Nosso Senhor. E no madeiro estava escrito : “ A Santa Cruz para a Regeneração da Terra Russa, recebida pela nobre Princesa Olga.” 

Santa Olga viveu, morreu e foi enterrada como uma cristã. E assim, tendo vivido de bem com o Deus em Uma Santíssima Trindade Glorificada , Pai, Filho e Espírito Santo, o adorando na bendita fé, ela terminou sua vida na paz de Cristo Jesus, nosso Senhor. No seu testemunho profético para as gerações sucessivas, com profunda humildade cristã ela confessou sua fé relativa a sua nação:  "Que a vontade de Deus seja feita! Se for agradável a Deus ter piedade de minha nativa terra russa, então Deus transformará os seus corações, tal como para mim recitaste esse dom ".  E glorificada por Deus a santa trabalhadora da Ortodoxia, a "iniciadora de fé" na Terra da Rússia, continuou por meio de suas incorruptas relíquias a realizar milagres. 

Yakov Mnikh (+ 1072), cem anos após sua morte, escreveu na sua obra "Memória e louvor a Vladimir": "Deus glorificou o corpo da Sua serva Helena, e seu corpo é venerado incorrupto na sepultura.” As relíquias de Santa Olga foram transferidas para as Desyatin igreja do Uspenie (Dormição) da Mãe de Deus e colocadas dentro de um sarcófago, como era o costume em casos análogos encerrar as relíquias de santos no Oriente Ortodoxo.  "E se ouviu, o registro de um certo milagre sobre ela:  Um pequeno túmulo de pedra está na igreja da Santíssima Mãe de Deus, este templo construído pelo abençoado Príncipe Vladimir, e na sepultura está a Bendita Olga. E em cima do túmulo foi forjada uma abertura- para que seja possível a visitação do corpo incorrupto da Bem Aventurada Olga, por todos que fossem lá. Mas nem todos foram dignos de ver este milagre da incorrupção do corpo da santa.

"Para os que tinham fé, a sepultura se abria, e a estes era possível ver o venerável corpo intacto, e se maravilhar com tal milagre, deste corpo, ali há tantos anos sem sofrer decadência, digno de todos os elogios, como se estivesse dormindo, repousando. Mas, aqueles que não se aproximavam com fé, não conseguiam abrir a sepultura, só podendo enxergar o tumulo.” 
Assim, mesmo após a morte, santa Olga continuou a defender a crença na vida eterna e ressurreição, a encher de alegria os crentes e de confusão os não-crentes.  Ela foi, nas palavras do Monge e cronista Nestor: " Uma precursora na terra Cristã, como o amanhecer antes do nascer do sol ou à luz do crepúsculo antes da luz". O santo igual aos apóstolos Vladimir, dando graças a Deus no dia do batismo da Rus', testemunhou perante seus conterrâneos a notável expressão em relação a Santa Olga: "Os filhos de Rus' os fez abençoados, até as gerações de tua última linhagem ".